Novo

Educação E Diversidade No Contexto Neoliberal

85 reais

em 12x 8 reais con 11 centavos

Enviando normalmente

Frete grátis

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Estoque disponível

Devolução grátis

Você tem 30 dias a partir do recebimento do produto para devolvê-lo, não importa o motivo!

Garantia

Compra Garantida com o Mercado Pago

Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

Garantia da loja

Garantia do vendedor: 3 meses

Meios de pagamento

Boleto parcelado em até 12x

Mercado Crédito

Cartões de crédito

Pague em até 12x!

Mastercard
Hipercard
Elo
Visa

Cartões de débito

Elo Debito
Visa Débito

Pix

Pix

Boleto bancário

Boleto

Características principais

Título do livroEDUCAÇÃO E DIVERSIDADE NO CONTEXTO NEOLIBERAL
IdiomaPortuguês
EditoraAlexa
FormatoPapel

Outras características

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9786587643434

Descrição

A obra intitulada Educação e diversidade no contexto neoliberal tem por finalidade contribuir com a disseminação do conhecimento em diversas áreas do saber, seja no campo econômico, político ou didático. Essas áreas, de uma forma ou de outra, encontram-se ligadas sob a perspectiva transdisciplinar.
Assim, a obra aborda temas emergentes na educação, os quais buscam contribuir com equidade étnico-racial e dos Direitos Humanos, contribuindo para a superação do racismo em todas as esferas da sociedade, como estudos afro-brasileiros e afro-ameríndios. Apresenta, também, reflexões e debates sobre temas que já ocupam visibilidade nas produções científicas dos últimos anos: estágio supervisionado na formação inicial; o processo de alfabetização na educação infantil; a educação do campo; a educação de jovens e adultos como direito da classe trabalhadora; e estudos na perspectiva freireana.
Outrossim, propor-se-á à reflexão crítica sobre a relação educação e mercado, frente à ofensiva neoliberal, que tem colocado a educação a serviço do mercado educacional, com a oferta do ensino superior na modalidade a distância. Essa problemática se agrava ainda mais devido à ênfase nos cursos de licenciaturas, que têm proliferado a formação aligeirada para atender às demandas do capital.
Por esse motivo, com base numa perspectiva marxiana, discute-se sobre crises, formas de sociabilidade capitalista e os desafios da nova ordem econômica na superação da crise do capital. Dessa forma, torna-se possível relacionar trabalho e educação ao papel exercido pelo Banco Mundial que, junto com o pacto de Educação para Todos (EPT), definiu as diretrizes a serem implantadas na reforma educacional dos países pobres a partir da década de 1990.
No que se pese ao atual contexto da pandemia, devido à Covid-19, e ao crescimento de ideias conservadoras nas diversas esferas do poder público, os ataques aos direitos trabalhistas, demasiadamente precarizados, têm sido intensificados com o cancelamento dos contratos de trabalho e com a diminuição dos salários em todas os setores da produção.
Nesse viés, faz-se necessário, portanto, uma educação para além da lógica capitalista, que propicie a formação com vistas à emancipação humana, com a extinção do tripé do sistema de sociometabolismo entre capital, trabalho e Estado. Assim, conforme afirma Tonet (2005), a essência da emancipação humana se dará através do controle consciente e coletivo dos indivíduos diante do seu processo de autoconstrução, sobre o conjunto do processo histórico.