Novo

Fazendo Antropologia No Alto Solimões, V. 19

68 reais

em 12x 6 reais con 48 centavos

Enviando normalmente

Envio para todo o país

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Estoque disponível

Devolução grátis

Você tem 30 dias a partir do recebimento do produto para devolvê-lo, não importa o motivo!

Garantia

Compra Garantida com o Mercado Pago

Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

Meios de pagamento

Boleto parcelado em até 12x

Mercado Crédito

Cartões de crédito

Pague em até 12x!

Mastercard
Hipercard
Elo
Visa

Cartões de débito

Elo Debito
Visa Débito

Pix

Pix

Boleto bancário

Boleto

Descrição

Fazendo Antropologia no Alto Solimões, V. 19 João Bosco Ladislau de Andrade Michel Justamand Tharcísio Santiago Cruz (Organizadores) 14x21cm -266 páginas ISBN -978-85-5467-062-7 Parece-nos, que para a região, é uma façanha a ser valorizada e incentivada. E é o que temos feito, enquanto organizadores deste número, os já citados acima, e ou idealizadores, (Adailton da Silva, Gilse Elisa Rodrigues, Michel Justamand e Tharcísio Santiago Cruz), dessa multifacetada, conhecida e citada coleção de Antropologia do Alto Solimões. É sempre pertinente lembrar que essa coleção teve seu início em encontros informais, na região fronteiriça de Brasil, Colômbia e Peru, entre alguns dos docentes do Curso de Antropologia, localizado no Instituto de Natureza e Cultura – INC, da Universidade Federal do Amazonas – UFAM, na unidade acadêmica do Alto Solimões, em Benjamin Constant. Esses que passaram num concurso realizado em maio de 2009, na cidade de Manaus, nas dependências da sede da instituição. Desde então atuam em conjunto e coletivamente na instituição, tendo passado por alegrias e tristezas, demos risadas juntos, mas também choramos, mas nos mantemos unidos em prol de um outro mundo, um mundo mais justo, igualitário e onde caibam muitos mundos! A coleção FAAS tem se disposto a demonstrar que é possível investir na multiplicidade de focos de conhecimentos, e consequentemente, na sua complementaridade para a ciência, no sentido mais amplo do termo ciência. Acreditamos que não se produz conhecimento somente com conteúdos disciplinares. Se fazem necessários os diálogos, e por que não os intercâmbios com outras áreas dos saberes humanos. Assim, é para nós, organizadores e idealizadores, que se compõem a ciências e, em especial, a Antropologia. Somos abertamente adeptos da produção multidisciplinar! Nessa edição também participam com suas pesquisas autores não só do Alto Solimões, mas de outras partes do país. Evidente que a região amazônica tem grande participação. Mas textos de colegas do Sul do Brasil também completam conosco a edição. Algo que para nós é também muito salutar. Temos também a certeza da importância do diálogo entre as mais diversas instituições e locais de produção.