Novo

Fazendo Antropologia No Alto Solimões - V.12

65 reais

em 12x 6 reais con 20 centavos

Entrega a combinar com o vendedor

Embu Das Artes, São Paulo

Estoque disponível

Garantia

Compra Garantida com o Mercado Pago

Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

Meios de pagamento

Boleto parcelado em até 12x

Cartões de crédito

Pague em até 12x!

Cartões de débito

Pix

Boleto bancário

Descrição

Fazendo antropologia no Alto Solimões - v.12 O pensamento dissidente e as questões amazonicas Iraíldes Caldas Torres Michel Justamand ISBN 978-85-5467-012-2 14x21cm -272 páginas Esta nova obra, ora organizada por Iraíldes Caldas Torres3 e Michel Justamand, que representa o volume 12 da coleção FAAS, intitulada O pensamento dissidente e as questões amazônicas é baseada nas discussões, reflexões e diálogos, ocorridos durante a aplicação de uma disciplina, ministrada por Michel Justamand, no Programa de Pós-Graduação Sociedade e Cultura na Amazônia da UFAM em Manaus. Ministrada em dezembro de 2017, a disciplina recebeu o nome de Contribuições do pensamento dissidente para as questões amazônicas. Os discentes da turma que participaram das aulas eram provenientes de mais de um programa de pós-graduação da instituição amazonense, entre eles o de Antropologia. Tínhamos como principal objetivo apresentar algumas contribuições do pensamento, por nós chamados de dissidente, para as questões amazônicas. Visávamos discutir, debater e analisar os temas de pesquisa de cada um desses discentes, que são pertinentes para a interpretação da região amazônica. Pensávamos que a partir das ideias, reflexões e propostas de uma miríade de autores, que ainda são infelizmente, marginais na academia, pudéssemos repensar essas temáticas em estudos. Queremos enfatizar que tal pratica foi ensinada, (pelo bom velhinho), por Paulo Freire, que muito incentivou em suas aulas a importância da prática de ouvir/escutar os discentes sobre as possíveis dinâmicas a serem utilizadas nas aulas. Medidas que, provavelmente, contribuíram para a melhoria e ampliação das relações docente/discente e, consequentemente, do aprendizado de todos. Como diz o próprio Paulo Freire, se ensina aprendendo e se aprende ensinando. Alguns desses autores que são, propositalmente ou não, esquecidos no mundo acadêmico, foram nesses debates, lembrados e valorizados, tiveram seus textos analisados e debatidos. Citamos todos nominalmente e em ordem alfabética, Andrey Cordeiro Ferreira, Bruce Albert, Davi Kopenawa, Evelyn Reed, Florêncio Vaz, Jonh Zerzan, Jung Mo Sung, Mauricio Tragtenberg, Milton Santos, Nestor Garcia Canclini, Noam Chomsky, Paulo Freire e Silvia Rivera Cusicanqui. Esses autores são tratados como marginais, por serem, em muitos casos, divergentes, discordantes, re(des)conectados, destoantes e dissidentes. Destaque-se que os pensamentos desses dissidentes contribuíram com os estudantes em suas reflexões e analises de seus próprios temas de pesquisas, que são, fundamentalmente, amazônicos.