Novo

Arqueologia Do Feminino

38 reais

em 6x 7 reais con 02 centavos

Enviando normalmente

Envio para todo o país

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Estoque disponível

Devolução grátis

Você tem 30 dias a partir do recebimento do produto para devolvê-lo, não importa o motivo!

Garantia

Compra Garantida com o Mercado Pago

Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

Meios de pagamento

Boleto parcelado em até 12x

Mercado Crédito

Cartões de crédito

Pague em até 6x!

Mastercard
Hipercard
Elo
Visa

Cartões de débito

Elo Debito
Visa Débito

Pix

Pix

Boleto bancário

Boleto

Características principais

FormatoNão definido

Descrição

Arqueologia do feminino Michel Justamand Andrés Alarcón-Jiménez Gabriel Frechiani de Oliveira Pedro Paulo Abreu Funaris 14x21cm 128 páginas ISBN 978-85-63354-69-3 Este livro tem como tema duas importantes áreas de estudo que, embora aparentemente distantes uma da outra, encontram aqui uma coesão e correspondência que contribui sobremaneira com o mundo atual. É preciso celebrar um livro que recupera um conjunto imagético de representações do mundo feminino como parte e expressão de sujeitos históricos, suas interações, culturas, visões em grupo. Arqueólogos e historiadores, em trabalho conjunto, deram sentido e resignificaram os registros de imagens que tratam sobre temas femininos ou representam mulheres. Suas análises e pesquisas trazem conhecimentos sobre os grupos humanos e seu modo de vida, incluindo o protagonismo feminino tantas e tantas vezes esquecidas na literatura e silenciadas na História: as mulheres contribuíam na ampliação das fontes alimentícias de seu grupo, as mulheres também participam de suas caçadas em alguns grupos, eram partícipes ativas dos eventos sociais, atuavam também em cerimoniais, exerciam funções principais dentro dos rituais religiosos e também atuavam como curadoras, foram as responsáveis pelo enriquecimento do vocabulário dos grupos, as mulheres poderiam ser vistas como líderes e sacerdotisas, tendo posições de destaque nas sociedades amazônicas. Fica claro, portanto, que a presença feminina nas pinturas rupestres são fontes inesgotáveis de informações sobre a vida ancestral não apenas no Brasil como no mundo, e nos indicam que as mulheres participavam com papéis significativos em seus grupos. Esta é uma contribuição sólida sobre a posição e a história da mulher. Quão mais estudos unindo Arqueologia e História podem contribuir com a emancipação feminina e a transformação social? Somos motivadas pela esperança de que a leitura desta obra contribua com ações na direção de uma sociedade mais justa e igualitária. Este é um convite à reflexão e a produção de novas e pertinentes pesquisas que auxiliem na compreensão e explicação da sociedade humana. Patrícia Sposito Mechi (UNILA – Universidade Federal da Integração Latino-Americana) Lilian Marta Grisolio (UFG – Universidade Federal de Goiás)